Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2016

Às cabeçadas com o tofu

No outro dia fui comprar água ao supermercado biológico que tenho aqui ao lado de casa. Não é que tenham água biológica, ou que eu compraria água biológica se a tivessem, mas o pack de 6 garrafas de litro e meio é pesado e este é o supermercado que menos dista da porta de minha casa. À espera para pagar reparei num croissant que dizia “Croissant de frankfurt de tofu”. Indignei-me logo ali! Hoje em dia qualquer pessoa pode escrever qualquer coisa em qualquer sítio e ninguém diz nada. É demasiado fácil abusar das palavras e confundir os termos para escrever coisas mais “vendíveis”. Não há respeito pelos significados, vivemos um niilismo verbal que se está pouco marimbando para a semiótica. É um descontexto pespegado! Estará Camões a dar piruetas nos Jerónimos, esteve ele ali com tantos trabalhos a contar verso por verso dos Lusíadas para que tivessem todos 10 sílabas e vem agora o tofu  dar cabo da literatura.  Não me mal interpretem, acho maravilhoso que queiram fazer croissants de…

Feliz 25 de Abril atrasado

Imagem
- Hoje em Portugal é feriado. - Ai sim, porquê? - É o 25 de Abril. (Silêncio). Esqueci-me do 25 de Abril. E só me lembrei que me esqueci porque calhou falar ao telefone com a minha mãe. Não seria grave se não fosse um dia que representa tantas coisas em que eu acredito. Não seria grave se não fosse um marco na história da nação. Basicamente, não seria grave se fosse, sei lá, o dia da árvore. Com todos os meus respeitos ao Parque de Monsanto e à Floresta da Amazónia. Mas é o dia de uma revolução do povo, de um país em harmonia contra a repressão, da música do Zeca Afonso e, principalmente, da liberdade. A liberdade, essa coisinha que nos dá a possibilidade de sermos o que queremos ser, de dizer o que pensamos, de escrever o que bem nos apetecer em blogs cor-de-rosa. Senti-me desenraizada. Senti-me envergonhada. Pensei, o que será que me aconteceu para não me lembrar da liberdade? E a verdade é que me aconteceram tantas coisas nos últimos 6 meses, tantos sobe e desce, tantos castelo…

Resistência irresistível

Comprei um telefone novo porque o meu deu o berro. Ou, para ser mais exata, silenciou-se para sempre. Eu, que tenho um método extremamente seletivo para escolher aparelhos tecnológicos, escolhi como de costume o que era mais bonito, que é como quem diz, mais cor de rosa! Um cor de rosa ouro assim para lá de espetacular, fino e consideravelmente pequeno, em que as fotografias que tiro se mexem, como as do Harry Potter! Estou maravilhada! Foi um passo importante, porque desde que me roubaram um iphone há pra aí 5 anos, que mudei para Samsung. E fui, durante muito tempo, uma utilizadora fiel, uma defensora acérrima da marca, uma ativista anti Apple e o seu plano de marketing para dominar o mundo. No fim, lá foi tudo para as couves por um rosa ouro. Que fique claro que resisti mais do que podia! Acabei por me render porque absolutamente toda a gente aqui usa iphone e faz face time e eu sentia-me um bocadinho excluída do mundo. Balanço a minha dignidade por ainda usar um Toshiba em ve…

Uma loucura genial

Estou deitada na cama, não consigo dormir. Não é que não tenha sono, não é que não esteja cansada. É mesmo que não consigo dormir. Penso em elaborados planos de assassinato, sim, assassinato. Colectivo. Uma coisa sangrenta a valer! Repasso os episódios que vi, com esmerada atenção, de um programa chamado “Crimes imperfeitos”. Basicamente, este programa ensina como matar alguém de maneira perfeita, mostrando os erros de casos reais em que os assassinos foram apanhados. Extremamente didático! Mas depois lembro-me que o meu arsenal de armas se resume à frigideira antioxidante, à faca vermelha de cortar a carne e ao spray para matar baratas, o que acaba por me dissuadir dos meus planos psicopatas. Opto por deixar viver os senhores que estão a cargo das obras do apartamento ao lado. São os senhores que durante o último mês têm contribuído cada dia para um aumento gradual das minhas olheiras e do meu mau humor. Os senhores que continuam a pôr o seu grãozinho de areia (com uma serra elétri…